A.R. Associação Eleitoral em Houwerzijl 1918 - 1931

O Vereniging Historische Kring De Marne adquiriu dois cadernos antigos contendo as atas da associação eleitoral anti-revolucionária em Houwerzijl. O primeiro abrange o período de 25 de novembro de 1918 a 8 de janeiro de 1931, o segundo ao período de 20 de julho de 1945 a 18 de dezembro de 1953. Duas fontes interessantes que dão a impressão de uma associação eleitoral da AR no interbordo e os anos de construção após a Segunda Guerra Mundial e em uma pequena vila predominantemente reformada, com trabalhadores camponeses como o maior grupo social. Além disso, eles mostram como a política nacional e mundial desempenhou um papel nisso.

Capítulos


A ata da reunião de 25 de novembro de 1918

Em novembro de 1918, a primeira Guerra Mundial ("A Grande Guerra") terminou. Em Houwerzijl, um grupo de homens (sem dúvida reformados) se reúne sob a liderança do Rev. Van Leeuwen. Primeiro, o Salmo 89: 7 é cantado, depois o presidente (o pastor) lidera a oração. O discurso de abertura do presidente reflete muito bem quantos em nosso país - certamente também 'os irmãos homens' - experimentaram esse período imediatamente após a Primeira Guerra Mundial. O secretário, J. Hoeksema, observou:
"... ele apontou para o presidente o evento dos últimos dias. Como nós, graças a Deus, tínhamos acabado com a grande guerra devido à trégua, mas da turbulência dos povos veio outro monstro, o da revolução.
Chegando aos eventos em seu próprio país, o Presidente lembrou que, felizmente, não estamos envolvidos na guerra pela mão protetora de Deus, mas indiretamente sentimos a guerra bem. Spr. exorta todos a defender a bandeira do Evangelho.
Também em nosso país, tentamos nos familiarizar praticamente com a revolução. Felizmente, esse perigo também foi revertido, pelo menos por enquanto, mas todos são advertidos porque a revolução é fruto da incredulidade, e por isso continua aparecendo ".

Da contribuição à aplicação

Abordaremos brevemente algumas questões discutidas na primeira reunião após a Primeira Guerra Mundial:
O tesoureiro do conselho, S. Datema, parece receber algum dinheiro na sede do clube. Mas isso não acaba. Embora seja necessário um mínimo de 40 centavos de cada membro, a grande maioria deve ser paga aos órgãos nacionais, provinciais e municipais; a associação em si ainda tem 5 centavos por membro restante ...
Um dos itens da agenda desta reunião é a indicação para a próxima eleição dos Estados Provinciais. O programa conceitual propõe "nomear pessoas de várias classes, agricultores, médios e classes trabalhadoras". Mr. Kopper (um professor? Ele não está na lista de professores do livro "Houwerzijl, uma vila no Marne", p. 122), J. Rietema, E. Musschinga e K. Koning são indicados. O secretário passará os nomes para o secretário do círculo eleitoral de Bedum.
O presidente encerra a reunião. O executivo da escola secundária, J. Rietema, lidera a oração de agradecimento.

Tópicos para discussão nas reuniões de 3-2-1919 a 8 de janeiro de 1931

Sufrágio feminino

Na reunião de 3 de fevereiro de 1919, verifica-se que as mulheres podem votar pela primeira vez nas próximas eleições municipais (20 de maio). O Rev. Van Leeuwen, presidente do Conselho, coloca desta forma: "... em breve, nossas mulheres também terão que ir às urnas e se tornarem membros de nossa associação eleitoral, a fim de aumentar também seus conhecimentos nessas questões".
Em uma reunião em 1920, o secretário Hoeksema realiza uma palestra sobre o sufrágio feminino. Antes disso, o presidente havia apontado em seu discurso de abertura a turbulência que também está surgindo no município de Ulrum; é mencionada a performance de Mansholt et al., que frequentemente se fazem ouvir. Ele argumenta que “nossos conselheiros se protegem disso no centro comunitário de nossa comunidade. princípios ”.
Se o secretário discursar, ele se refere ao desempenho de Mansholt et al. ... O orador achou que as mulheres deveriam ser admitidas nas reuniões da associação eleitoral para que elas também adquirissem conhecimento nessa área. Mas, de longe, a maioria dos membros presentes rejeita isso. Portanto, Houwerzijl não apoiará a proposta em questão na reunião central das associações eleitorais, que será realizada em breve em Ulrum.
Posteriormente, durante uma reunião, concorda-se em convidar as mulheres para participar de uma reunião. Na reunião de 10 de outubro de 1921, menciona-se que, em conexão com "a questão da política das mulheres", deve-se ter em mente que "nosso partido não deve abrir o direito de voto para as mulheres".

Candidatura candidata

Também lemos na ata de 3 de fevereiro de 1919 que foi discutida a indicação para os Estados Provinciais, círculo eleitoral de Bedum. Alguns membros parecem falar mal da maneira como a indicação foi feita. Eles acreditam que os candidatos dos trabalhadores foram adiados e isso não deveria ter acontecido. E isso poderia acontecer porque muitos dos presentes, incluindo os delegados de Houwerzijl, haviam saído cedo - porque estava ficando tarde demais.
Os delegados se defendem. H. Mulder ressalta que um delegado já deve pagar por tudo, então deve comparecer à reunião por um dia inteiro e depois também voltava para casa tarde da noite ... Se essa queixa teve um papel três anos depois , não está claro, mas então é decidido compensar dois homens que em Houwerzijl para ser delegado a uma reunião em Bedum. Ambos receberão dois florins "para combater os custos". Você diria que antes dessa época não era uma quantia tão louca, mas não, alguns em Houwerzijl aparentemente pensavam de maneira diferente, porque a partir da reunião, note-se que isso é muito escasso. O presidente concorda que eles receberão mais, se necessário.

A questão social

Em janeiro de 1924, o secretário falou sobre "Interesses políticos e sociais". Naquela ocasião, é chamado "organização em todos os campos de trabalho, a fim de garantir que a paz da empresa e nossa pátria floresçam cada vez mais e que a justiça e a justiça reine".
Não pense que a participação dos funcionários na empresa seja parte do nosso tempo, ou pelo menos depois da Segunda Guerra Mundial. Não, já na reunião de 21 de dezembro de 1926, o "amigo" A. Meier está se posicionando sobre a participação dos funcionários na empresa. Ele começa afirmando que não é concebível para um leigo nesta área servir vinho claro. Ele terá que se limitar a apresentar algumas linhas gerais, com base em uma declaração do Sr. Smeenk (um importante líder no momento da ação social cristã dentro da ARP). Que o assunto é considerado importante - pelo menos pela secretária de atas de Houwerzijl - pode ser visto pelo fato de que não houve referência nesse período tão extensivamente quanto isso; seu relatório cobre três páginas.
Na reunião de 18 de dezembro de 1930, C. Huizenga falou sobre a pergunta "Por que a frouxidão em nosso partido e mais em nossos departamentos". A luta escolar - ele argumenta - forjou nosso povo. Depois dessa luta, surgiu a falta de vida. E que enquanto lá
uma nova luta se desenvolveu, a luta social. Dr. Kuyper levantou cedo, mas ficou sozinho. O orador lembrou que também devemos seguir a Cristo nesta área que nos precedeu. Após esta introdução, uma forte discussão se seguiu. No entanto, emergiu mais uma vez dessa discussão que o conhecimento é adquirido através da troca de idéias ".

Turbulência revolucionária

Como vimos na ata da primeira reunião (novembro de 1918), a ameaça da revolução era uma item quente no período imediatamente após a Primeira Guerra Mundial. O ano seguinte foi aparentemente ainda atual, porque em 22 de maio de 1919 "de Vries" (sem dúvida mestre I. de Vries, professor da escola primária reformada em Houwerzijl nos anos de 1921-1923) fez uma referência sobre "revolucionário" turbulência ”.
Após a palestra (sobre a qual nada mais foi observado), surge uma discussão sobre a questão, o que é realmente uma revolução. É feita referência à guerra de 80 anos e à guerra de liberdade de Cromwell para provar que um governo deve realmente ser deixado de lado, a saber, se ele faz coisas que vão contra a palavra de Deus e a 'violação de privilégios'. Já mencionamos que a "agitação" também se aplica em Ulrum no parágrafo acima sobre o sufrágio feminino, no qual escrevemos como, em uma reunião em 1920, foi discutida a conduta de Mansholt et al.

O AR no conselho de Ulrum

Na reunião de 3 de fevereiro de 1919, na qual estavam em pauta as eleições municipais de 20 de maio daquele ano, também foi elaborada uma lista geral para essas eleições. Espera-se que a maioria de dois membros possa cair para um. Nesse contexto, considera-se aconselhável conceder o candidato do outro partido cristão-protestante à lista da A.R. no município de Ulrum, a União Histórico-Cristã. (Esse candidato é o Sr. Loots.) A associação eleitoral central da AR no município de Ulrum parece ter decidido ajudar o candidato da CHU no conselho se o grupo da CHU não conseguisse elaborar sua própria lista . No entanto, o clube eleitoral da AR em Ulrum não aderiu a esse acordo; Houwerzijl fará isso, está decidido.
Em janeiro de 1931, Dorst van Zoutkamp falou sobre um programa municipal de AR. Isso não existe, mas deveria estar lá. Os itens que devem ser incluídos incluem descanso de domingo, moralidade pública, controle de álcool, saúde pública, moradia, assuntos escolares, direito trabalhista agrícola, assuntos sociais e desemprego.

O ARPartij - em todo o país

Na reunião de 17 de janeiro de 1921, o presidente relata o dia da festa em Groningen. Colijn e Idenburg atuaram como oradores no local. Entre outras coisas, o "plano de milhões" foi desdobrado lá. Esse plano envolve arrecadar dinheiro para um púlpito de Kuyper, a fim de ensinar os princípios de RA desenvolvidos pelo Dr. A. Kuyper (Kuyper morreu no outono de 1920). É criado um comitê para organizar a coleção em Houwerzijl. (Depois, a fl. 900 foi coletada na vila.)

O programa; os princípios

As opiniões de A. Kuyper não desapareceram com sua morte. Por exemplo, J. Rietema - ele se tornou presidente, após a saída do Rev. Van Leeuwen de Houwerzijl - fala sobre a antese durante sua abertura da reunião em 17-1-1922, em conexão com a batalha eleitoral que se aproxima. Devemos, argumenta ele, deixar de lado nossas disputas como cristãos para "derrotar o inimigo comum, em nome do Senhor". (As eleições de 1922 resultaram bem para os partidos cristãos.)
Na reunião de dezembro de 1925, manifestou-se preocupação sobre a destruição do casamento pelos "incrédulos". Temos que nos proteger disso, diz-se. Um problema com isso é que “por muitos de nossos homens, o cr. A imprensa não é lida ”. Os homens são incentivados a fazer isso.
O projeto de programa para as eleições estaduais foi discutido em novembro de 1926. No art. 4 há um apelo para que "a doença mental incapacitada seja nutrida em instituições que estejam de acordo com sua filosofia de vida e confissão". Isso não é tarefa da igreja? assim é perguntado. Não, de acordo com o presidente Rietema, é uma tarefa do governo, porque tem que zelar pela segurança pública e pela paz.
Durante a reunião de janeiro de 1928, o professor Pool fala sobre arte. 15 do programa de RA, que trata de a) queima de cadáver eb) vacinação. A questão é se a queima de cadáveres pode ser permitida em um "país cristão" (isso acontece). Decide-se expressar a esperança de que "logo que a ilegalidade não seja mais detectada". A AR sempre foi contra a vacinação. O palestrante espera que a lei que impõe a vacinação compulsória seja suspensa.

Algumas questões políticas atuais no período 1918-1931

A Lei da Frota
Na reunião de 14 de dezembro de 1923, o diretor da escola, S. de Jonge, falou sobre "A rejeição da Lei da Frota". O orador acreditava que era necessária uma forte frota para fortalecer as Índias. Há duas razões para isso: prosperidade e disseminação da religião.

O enviado com o Papa

O gabinete caiu porque o CHU com o SGP lutou contra a existência continuada da embaixada holandesa com o papa (novembro de 1925). Este evento é discutido pela associação eleitoral da AR em Houwerzijl pelo mestre M. van der Veen (diretor da escola de 1925-1961). Ele apóia a política nacional de RA; ele considera necessária a existência continuada da missão.

Desarmamento

Na reunião de 8 de janeiro de 1931, uma carta é discutida pelo comitê central do ARP alertando sobre o desarmamento unilateral. Uma brochura está incluída. O conselho solicitará a brochura, a lerá e solicitará algumas cópias após a aprovação.

Deixe O Seu Comentário